Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
Paulistana, licenciada em Artes Visuais, professora titular de Artes da rede pública de ensino do Estado de SP. De maneira autônoma e em parceria com coletivos de arte, cultura e cidadania pesquisa/desenvolve as linguagens artísticas: desenho, quadrinhos, produção de vídeo experimental e de música experimental. Desenvolve os projetos educacionais: "Arte Moderna e Contemporanea" e "Cultura AfroIndigena nas Escolas". Cria/participa de Fanzines de ilustração e de poemas ilustrados em parceria com escritores e educadores independentes. Participa desde 2012 de exposições de Desenho, de Quadrinhos e de Fanzines. Formou-se também na área de construção civil e teve experiência profissional como Técnica em Edificações, Tecnóloga em Construção de Edifícios e Desenhista Projetista/Arquitetura.

FAÇA NOVO O TEU ANO - Por Frei Betto

Neste ano-novo, faça-te novo, reduzas a tua ansiedade, cultivas flores no canteiro da alma, regues de ternura teus sentimentos mais profundos, imprimas a teus passos o ritmo das tartarugas e a leveza das garças.

Não te mires nos outros; a inveja é um cancro que mina a auto-estima, fomenta a revolta e abre, no centro do coração, o buraco no qual se precipita o próprio invejoso.

Mira-te em ti mesmo, assumas teus talentos, acredites em tua criatividade, abrace com amor tua singularidade. Evitas, porém, o olhar narciso. Sejas solidário; aos estender aos outros as tuas mãos estarás oxigenando a própria vida. Não seja refém de teu egoísmo.

Cuida-te da língua. Não professes difamações e injúrias. O ódio destrói quem odeia, não o odiado. Troque a maledicência pela benevolência. Comprometa-te a expressar ao menos cinco elogios por dia. Tua saúde espiritual agradecerá.

Não desperdices tua existência hipnotizado pela TV ou navegando aleatoriamente pela internet, naufragado no turbilhão de imagens e informações que não consegues transformar em síntese cognitiva. Não deixes que a espetacularização da mídia anule tua capacidade de sonhar e te transforme em consumista compulsivo. A publicidade sugere felicidade e, no entanto, nada oferece senão prazeres momentâneos.

Centra tua vida em bens infinitos, nunca nos finitos. Leia muito, reflitas, ouse buscar o silêncio neste mundo ruidoso. Lá encontrarás a ti mesmo e, com certeza, um Outro que vive em ti e quase nunca é escutado.

Cuida da saúde, mas sem a obsessão dos anoréticos e a compulsão dos que devoram alimentos com os olhos. Caminhas, pratiques exercícios aeróbicos, sem descuidar de acarinhar tuas rugas e não temer as marcas do tempo em teu corpo. Freqüentes também uma academia de malhar o espírito. E passe nele os cremes revitalizadores da generosidade e da compaixão.

Não dês importância ao que é fugaz, nem confundas o urgente com o prioritário. Não te deixes guiar pelos modismos. Faças como Sócrates, observe quantas coisas são oferecidas nas lojas que tu não precisas para ser feliz. Jamais deixes passar um dia sem um momento de oração. Se não tens fé, mergulha-te em tua vida interior, ainda que por apenas cinco minutos.

Não te deixes desiludir pelo mundo que o cerca. Assim o fizeram seres semelhantes a nós. Saibas que és chamado a transformá-lo. Se tens nojo da política, receberas a gratidão dos políticos que a enojam. Se és indiferente, agradecerão os que a ela se apegam. Se reages e atuas, haverão de temer-te, porém a democracia se fará mais participativa.

Arranque de tua mente todos os preconceitos e, de tuas atitudes, todas as discriminações. Sê tolerante, coloca-te no lugar do outro. Todo ser humano é o centro do Universo e morada viva de Deus. Antes, indagues a ti mesmo por que provocas em outrem antipatia, rejeição, desgosto. Reveste-te de alegria e descontração. A vida é breve e, de definitivo, só conhece a morte.

Faça algo para preservar o meio ambiente, despoluir o ar e a água, reduzir o aquecimento global. Não utilizes material não-biodegradável. Trate a natureza como aquilo que ela é de fato: tua mãe. Dela viestes e a ela voltarás; hoje, vives do beijo que lhe dá continuamente na boca: ela te nutre de oxigênio e alimentos.

Guarde um espaço em teu dia-a-dia para conectar-te com o Transcendente. Deixas que Deus acampe em tua subjetividade. Aprendas a fechar os olhos para ver melhor.

Feliz 2009!


Frei Betto, é escritor e religioso dominicano brasileiro. Adepto da Teologia da Libertação, é militante de movimentos pastorais e sociais, tendo ocupado a função de assessor especial de Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente da República, entre 2003 e 2004. Foi coordenador de Mobilização Social do programa Fome Zero. Recebeu vários prêmios por sua atuação em prol dos direitos humanos e a favor dos movimentos populares. Assessorou vários governos socialistas, em especial Cuba, nas relações Igreja Católica-Estado.

Resenhas de filmes antigos

Desde criança sou apaixonada por cinema, em especial, os filmes clássicos. Com exceção do cinema de animação, os filmes mais atuais tem uma característica marcante - o uso execessivo de efeitos especiais - e que praticamente transforma a figura humana do ator em um elemento coadjuvante. Diferentemente disso, os clássicos - na minha opinião - encantam mais por diversos motivos: qualidade do roteiro, excelente interpretação dos atores - me atrevendo a dizer estar muito próxima à arte dramática - e espetaculares trabalhos de direção e produção.

Com o propósito de promover diálogos entre cinéfilos, o sítio abriga resenhas e outras variantes sobre diversos gêneros de filmes. Espero que os apaixonados - como eu - pela sétima arte possam trocar análises técnicas e/ou pessoais, e dicas com as postagens deste sítio. E que as resenhas, consigam elencar os encantos dos filmes clássicos e de outros gêneros, também merecedores do prestígio das atuais gerações.

Então, se você deseja disseminar e manter vivo o encanto dos clássicos - e outros - do cinema,

PARTICIPE!!
ENCAMINHE SUGESTÕES, ANÁLISES
E OPINIÕES SOBRE FILMES!!!
FIQUE À VONTADE! ESTE ESPAÇO TAMBÉM É SEU!

Entre no blog www.fabimenassi.wordpress.com

e deixe seu recado, uma resenha, o que desejar...

E AÍ? VAMOS FAZER QUE NEM OS AVESTRUZES?

Enviado por: "Laerte Braga" http://br.mc656.mail.yahoo.com/mc/compose?to=laerte.braga@uol.com.br
Ter, 16 de Dez de 2008 5:20 pm

E AÍ? VAMOS FAZER QUE NEM OS AVESTRUZES?
Laerte Braga

A entrevista do delegado Protógenes Queiroz a revista CAROS AMIGOS é o fato político de maior importância em todo esse processo político de degradação de boa parte dos chamados três poderes da República, da "democracia" em última análise, do mundo dito institucional.Está podre.
Para o JORNAL NACIONAL (GLOBO) mídia de um modo geral, importante são os recursos perdidos pelo País nas muambas trazidas do Paraguai por sacoleiros. Ou a compra de carteiras especiais de habilitação para motoristas (caminheiros) . Os crimes que banqueiros, latifundiários e grandes empresários cometem a cada momento e usaram para estruturar e se apossar do Estado, da coisa pública, principalmente depois do governo fernando henrique (o mais corrupto e venal da história política do Brasil em todos os tempos), esses são detalhes a serem escondidos.
É que todos eles, a grande mídia, são parte do processo. Nos filmes de western, quando o mocinho está cercado e não consegue acertar os "bandidos", ele costuma atirar um pedaço de pedra, ou um trem qualquer num canto diferente do seu para atrair a atenção do inimigo. O inimigo dispara e ele atinge-o em cheio.
É o que os donos fazem. A mídia atira num lado, banaliza a barbárie, transforma o cidadão, o ser em massa de consumidores e os bandidos no caso atiram e atingem seus alvos. Do outro lado. É o espetáculo.
É lógico que sacoleiros infringem a lei. Como é evidente que quem compra carteiras de habilitação comete crime.
Mas é Daniel Dantas? Pior. E gilmar mendes? E fernando henrique cardoso? E todo o processo de desinformação que fabrica a candidatura josé serra, monta e cria condições para transformá-lo em presidente da República?
Que esconde a corrupção do governo Sarney? Que fabricou Collor de Mello?
De onde vem isso.
Brizola em 1994 inquirido sobre o Plano Real disse simplesmente que "isso vem de longe e traz consigo o mais deslavado neoliberalismo" . Nem se trata de analisar o plano em si, não é o caso aqui. Mas os seus propósitos, os seus objetivos.
O que o delegado Protógenes deixa claro na entrevista que concedeu a CAROS AMIGOS é que todo um processo bem pesado, medido, calculado, frio e predador foi montado para cingir os interesses nacionais aos interesses dos grupos que controlam o Estado e a partir de grupos que controlam o mundo na chamada nova ordem econômica.
Percebe-se, pela leitura da entrevista, que Daniel Dantas é só o braço de grandes conglomerados estrangeiros, o maior deles o Citigroup. Que gilmar mendes nesse cipoal todo é um funcionário subalterno e prestimoso dessa gente, ávido de mostrar trabalho e, consequentemente, faturar mais, ser promovido e reconhecido por bons serviços prestados aos patrões.
Como aquele prisioneiro de um campo de concentração que se propôs a substituir o cachorro morto do chefe do campo e ao ser libertado não conseguia ser nada além de cachorro. O cachorro não estava na representação, no apanhar os jornais pela manhã, no lamber a mão do dono. Estava entranhado no espírito, na alma. Era a sua essência.
O que vai se fazer? Vamos enfiar a cabeça num buraco como fazem os avestruzes e deixar ficar como está?
Quando se crucifica um sem vergonha de quinta categoria como Marcos Valério se está apenas desviando a atenção que se deve colocar sobre os verdadeiros chefões desse crime legalizado e criando culpados sem culpa num círculo corrupto e podre de dominação e controle do Estado brasileiro, que termina nesse grandioso espetáculo criado pela mídia para escravização, em última instância, do ser. Do cidadão comum.
Seja ele um Pastinha bocó metido a gente e levando um pacote de pães natalinos para casa, além da "bola" usual enquanto encaçapa outras bolas na aparência de figura respeitável, seja lá quem for.
A exploração do homem pelo homem na forma sofisticada dos controladores das tecnologias de tudo e sobre todos. Desde as da corrupção absoluta, da insensatez plena e total, até a da borduna para assuntos que escapem ao controle aqui ou ali.
Matar um menino de oito anos à porta de sua casa é detalhe, mero erro de cálculo nessa história toda. Absolver um policial que cerca um carro onde estão a mãe e dois filhos, matar uma das crianças vira "estrito cumprimento do dever".
O importante é escolher a GAROTA FANTÁSTICA, acionar a cadeira elétrica para definir quem vai ou não, quem merece ir para o BBB-9, os heróis de um Brasil onde essa gente deita, rola, faz o que quer e bem entende, encaçapa e depois guarda em pasta seres usados e submetidos a toda a sorte de abusos em nome do que chamam "progresso", "garantia de empregos" e vai por aí afora.
O problema não é só o crime organizado do PCC e outros comandos. É o crime legalizado dos banqueiros, latifundiários e grandes empresários. Transcende às fronteiras do País (objeto de galharda e patriótica preocupação do general Heleno FIESP/DASLU) e se estende a toda a teia criada por FHC nas privatizações inclusive do Estado e do País.
Toda a rede de corrupção que, como relata o delegado, chegou a trazer ao Brasil uma "plataforma da CIA".
Que, certamente, permanece intocada e vigilante como os grandes olhos do grande irmão.
Essa ordem econômica vigente no País é estrutura em toda essa podridão. Em todo esse mundo de comprados e vendidos.
Só que segundo a GLOBO os culpados são os sacoleiros que trazem muambas do Paraguai e causam "imensos" prejuízos ao erário público.
Daniel Dantas, Citigroup, CIA, Ermírio de Moraes, Eike Batista, toda essa corja está acima da lei. Têm o poder de vida e morte e empregam em suas empresas deputados, senadores, ministros, gilmar mendes e esse e aquele.
A fiança de um dos que traziam dinheiro de operações ilegais para, lavagem de dinheiro e que vinha do Paraguai, ao tempo dos Colorados, foi paga, num valor alto, num cheque assinado pelo atual ministro reinold stephanes. Está lá com todas as letras contado pelo delegado Protógenes.
E aí? Vamos enfiar a cabeça num buraco como fazem os avestruzes?
Olhar para o outro lado? Assentar à mesa e almoçar com o ministro? Com Daniel Dantas? Com Pastinha? Com gilmar mendes?
Está explicado o patriotismo dos que querem invadir o Paraguai para garantir "direitos" de bandidos brasileiros subordinados a bandidos norte-americanos e europeus, no controle dos "negócios". Tem Monsanto no meio, toda a sujeira dos transgênicos, da lavagem de dinheiro. A eleição de Lugo significou a perda de uma base.
E ainda prendem uns coitados que desejavam recriar a Cosa Nostra na Sicília. Deixa eles. Não causam um por cento do mal que qualquer um desses bandidos denunciados por Protógenes causam a um povo inteiro a um País todo.
O dilema é se somos avestruzes ou se somos gente?
Vai ser por aí que vamos sobreviver ou vamos viver. Há diferenças fundamentais entre sobreviver e viver.
O tronco hoje vem em forma de show, de espetáculo, de transformação do ser humano em objeto de consumo fácil e barato.
Que o delegado Protógenes esteja arrancando um hábeas corpus para sua própria vida e a de sua família depois de execrado por conta dessa gente é mais que compreensível. Ele foi execrado exatamente por ter mexido com essa gente.
E essa gente vai onde for preciso na sua falta de escrúpulos a moda de Jarbas Passarinho quando do AI-5.
Resta saber o que vamos fazer. Não acho confortável fazer como avestruzes. Para dizer o mínimo.
Haveria uma crise na indústria de calçados do País, super produção se optássemos, por exemplo, pacificamente, por tampar sapatos em cada um desses criminosos travestidos de banqueiros, empresários, latifundiários, deputados, senadores, ministros, etc, etc, sem nos esquecermos de dois dos bandidos mais asquerosos dentre todos - fernando henrique e josé serra.
E isso tem que ser só o começo.

Convite – Lançamento do livro

Convido você para o lançamento do livro do II CONCURSO LITERÁRIO HISTÓRIA DO MEU BAIRRO, HISTÓRA DO MEU MUNICÍPIO promovido pelo Programa "São Paulo: Um Estado de Leitores" da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Em duas categorias: Bairro e Município, o concurso recebeu mais de 1000 textos dos quais 20 foram escolhidos para compor a coletânea que será lançada dia 14/12/08 ÀS 10H NA CASA DAS ROSAS. O texto, "ITAPEVI, CIDADE PROGRESSO", de minha autoria foi um dos contemplados da categoria Município para integrar a publicação.

Com sinceridade e enorme alegria, conto com sua presença para compartilharmos esta conquista/acontecimento.

Convite para o ARTEXPECICLA


Dia 21/12/08 será realizado o evento "ARTEXPECICLA" com produção do querido amigo Carlos Rogerio Amorim, idealizador do PROJETO OFICINATIVA. Este encontro pretende promover uma exposição de diversas artes, trocas solidárias, mas principalmente um momento para que os participantes e vistantes possam desenvolver/experimentar/criar um outro mundo possível, mais HUMANO - DIFERENTE DO CAPITALISTA, CONSUMISTA...

O encontro será no Parque Celso Daniel que fica a 10 minutos da estação ferroviária Prefeito Celso Daniel-Santo André. Para ver sua localização clique em:

Informações:

Retrato Artístico, uma brincadeira que me diverte

O ato de se expressar através da linguagem do desenho, para mim, sempre foi um prazer. Intuitivamente iniciei meus primeiros traçados no papel das agendas novas que minha mãe ganhava no seu emprego. Depois comecei a copiar desenhos de histórias em quadrinhos somente com a preocupação de traçar as formas dos personagens; o desenho até esse momento era somente um hobby.

Há cinco anos ingressei na escola de arte para estudar desenho artístico e dei início a produção do meu portfolio. O meu professor dizia sempre que cada pessoa tem um estilo particular de se comunicar com desenho. Até concluir o curso não havia encontrado algo que trouxesse identidade com a linguagem, ou seja, o meu estilo particular. Dois anos mais tarde, estudando o primeiro ano da faculdade de educação de artes visuais, um professor passou para fazer desenhos de figuras humanas técnicas que me fascinaram. Elas possibilitavam trabalhar o "instinto" artístico, estudar com mais afinco os conceitos de volume, luz/sombra e escala de valores. E foi a partir deste momento que comecei a me dedicar a este estilo e a “encarar” a brincadeira de fazer retratos artísticos como uma profissão.

Meu primeiro retrato artístico

Em meus estudos com história da arte descobri fatos interessantes relacionados a retratos. Por exemplo, desde o início de sua existência, o ser humano sente desejo de deixar sua marca, sua identidade através de sua própria imagem.

O retrato como um gênero, e dos mais populares das linguagens visuais, é uma marca diferenciada e carimba a imagem de um ser humano desde a Pré-história. Foi popularizado com a Renascença quando passou a ser o grande foco das preocupações da vida e do imaginário dos artistas. A sua lingugagem foi usada para registrar pessoas e famílias nobres, burguesas, e mesmo hoje, no século XXI, ainda é um forte motivo de atração para artistas e admiradores.

O alemão Albert Durer (1471-1528) encantado com sua imagem foi o primeiro artista a se retratar já com 13 anos de idade. Certa vez, fez seu auto-retrato influenciado pela imagem de Jesus Cristo. O pintor Rembrandt (1606-1669) se mostrou pelo menos cem vezes por meio de diversos desenhos e pinturas. Realizou investigações das particularidades do ser humano, que exploraram diversificadas possibilidades de manipular as tintas, pinceladas e traçados no papel a procura de respostas para sua inquietação: “que espécie de pessoa sou eu?”. Caracterizou e idelizou as imagens de seus entes mais queridos de modo a transformá-los em protagonistas de cenas bíblicas e mitológicas. Experimentou novos recursos no tratamento da luz, na arte do claro-escuro e na descrição de volumes e das formas, demonstrando enorme sensibilidade para registrar personalidades. No cubismo analítico, artistas fizeram surgir uma “multidão” de relações entre os elementos que compõem a figura humana através da decomposição da figura e dos rostos humanos de maneira que era impossível remontá-los para estruturar na tela o que foi apreendido.

Descobri outra opção de estudo da figura humana, uma arte de criar imagem pessoal: o visagismo - ele envolve harmonia e estética, revela as qualidades interiores de uma pessoa, de acordo com suas características físicas. Se fundamenta no fato de saber analisar tanto características físicas (formas de rosto, tons de peles e feições) quanto a personalidade, e de saber liberar a criatividade, sem se prender a fórmulas ou regras, e exige um profundo conhecimento da linguagem visual.

Análises do rosto segundo visagismo - imagem extraída de um banner publicitário

Voltando a falar sobre retrato. Ele expressa a imagem externa do ser humano, seus estados emocionais, contextos sócio-históricos. Particularmente, as técnicas usadas para se fazer retratos artísticos me provocam um fascínio inexplicável e despertam minha sensibilidade, além de desenvolver minha inteligência visual.

O rosto humano tem formas muito atraentes, nele existem formas particulares e até certo ponto difíceis de se retratar. Porém isso não deve se tornar empecilho pela busca das formas - sejam realistas, cubistas, expressionistas, e tantas outras classificações e modos ainda não denominados - mas sim, um impulso para se dedicar a arte de ilustrar a figura humana.

Um retrato artístico, o nome de um gênero da linguagem do desenho, que me dedico a fazer para amigos, familiares e pessoas que encomendam esse trabalho para presentear alguém, na minha opinião “diz” muitas coisas além do que podemos compreender. Ele esconde características psicológicas, estado de espírito, e dependendo de quem o observa, poderá mostrar o jeito de ser da pessoa retratada.

A minha experiência com desenho começou com uma brincadeira despropositada e hoje posso dizer que é, no bom sentido da palavra, um trabalho, uma paixão que me diverte e talvez proporcione prazer àqueles que se sentem mais sensibilizados com a linguagem de retratos da figura humana.

Retratar uma pessoa é tentar, através de suas formas visuais, conhecê-la, descobrir o que ela esconde, é um mistério para ser desvendado...

E você? Que brincadeira te diverte?


Relato e galeria de fotos do projeto "Experimentando Teatro de Sombras na Sala de Aula" disponível no site do Instituto Arte na Escola

No site do Instituto Arte na Escola compartilho com Giuseppe Carlos, também professor de arte, a autoria de um relato de práticas e estudos ocorridos durante a aplicação do nosso projeto "EXPERIMENTANDO TEATRO DE SOMBRAS NA SALA DE AULA" - resultado de um trabalho de conclusão de licenciatura de Educação Artística/Artes Visuais. O relato conta expectativas, objetivos e aprendizados advindos de uma vivência com duas classes de sétima série cujos alunos descobriram e utilizaram como recurso para criar e encenar histórias a linguagem milenar teatro de sombras.

Gargântua produções é um grupo artístico que faz ao vivo durante a exibição de películas com narração e trilha sonora a sonorização de filmes mudos. É um trabalho fantástico e muito orgânico que lembra muito rádio ao vivo. Um dos trabalhos-destaque deste grupo é a sonorização de filmes da cineasta Lotte Reiniger, uma das pioneiras do cinema de animação e que animação de figuras chapadas sobrepostas em mesa de luz - trata-se de uma forma de resgatar técnicas de teatro de sombras oriental.
O grupo Gargântua gentilmente dispos em seu site o relato de autoria de Giuseppe Carlos Cicale, sob orientação de Fabiana Menassi sobre a aplicação do teatro de sombras na sala de aula.

Acrescento ainda, um espaço disponibilizado pelo IAE para a galeria de algumas fotos das produções teatrais com sombras realizadas por nossos alunos durante a experiência.

Contando um pouco mais sobre a vivencia em sala de aula, a experiência estética com o teatro de sombras, o prof. Giuseppe e demais autores do trabalho de conclusão de licenciatura, concederam uma entrevista para coluna "Fala Professor" da Revista virtual Art&
Boa leitura!

DST - Domingo Sem Tédio (Dia 14/09/08)

Faço um convite à artistas para participarem do projeto Domingo Sem Tédio, a ser realizado na ARCA (Associação Ribeiraopirense de Cidadãos Artitas) no dia 14 de setembro das 9h às 21 hs.




Lá poderemos compartilhar de vivências, trocar experiências, nos aproximar além dos trabalhos artísticos, das PESSOAS que os desenvolvem.
Aberto ao público a partir das 16hs com apresentações dos trabalhos artísticos.
A partir das 16 horas apresentações já confirmadas com:
• Trupe do Trapo
• Cantarilhos (cantarilhos@gmail.com)
• Bolinho de arroz (febolinhodearroz@hotmail.com)
• Exposição da artista plástica e escritora Fabiana Menassi(http://www.fabimenassi.blogspot.com/)
• Exposição da artista plástica e escritora Pam Orbacam(http://www.coceiranagarganta.blogspot.com/)
(Público: sugere-se um kg de alimento por pessoa ou contribuição de 5 reais)
Artistas e pessoas que quiserem participar ativamente deste movimento devem enviar um e-mail confirmando presença para: pam.sag@hotmail.com, projetooficinativa@hotmail.com ou nos telefones: (11) 4825 2748 / 9838 8091
Local Sede da ARCA
Avenida Humberto de Campos nº 576 -
Vila Ema - Ribeirão Pires/SP
CEP 09423-440
(pertinho da estação ferroviária Ribeirão Pires)
Telefone: 11 4825 2748
para se inscrever e receber agenda mensal da ARCA, envie e-mail para:

Vazio interior

Estranho o mundo,
Estranho meus desejos
Num momento quero tudo,
Noutro, nada
Aspiro o ar da liberdade,
Mas não sei o que fazer.
Melhor seria alguém
As regras me dizer?
O que é mais importante
Fazer ou pensar?
Se faço, não penso
E se penso, não faço
O que escrever?
O que dizer?
A linguagem
Me trai
Sentimento de vazio
Não sei como preenchê-lo
Será essa a minha sina de viver
Nunca saber?

Autoria: Fabiana Menassi

Visita a Bienal do Livro - 2008


No último domingo visitei a famosa Feira de Livros para conhecer as intervenções artísticas e educativas promovidas pelas editoras e livrarias para atrair o público.

Confiram os registros mais marcantes da visita.



Sistema solar






Caricaturas


Gabriel, o pensador, recitando poesias




Desilusão

Amor e ódio
Uma mistura
Decorrente da vida
De quem não deseja
Sentir a solidão.
A busca infinita
Dói no coração
De quem ama
E o amor
Em ódio se transforma.
O amor consome o coração
De quem
Deseja
Uma pessoa
Que nunca alcança.

Autoria: Fabiana Menassi

Amor fra(e)terno


Amizade, afeição
Aproximação, paixão
Seja qual for a combinação,
Regozija meu coração

Sou dotada da certeza:
Gozar de sua companhia
Faz emergir da tristeza
O prazer e a alegria.

Mesmo com as presenças
Da longitude do tempo
E da saudade imensa,
Não dissolveu-se meu sentimento

Se for somente
Por um simples retrato
Ficarei contente
Ver você em nosso eterno abraço

Somos duas almas unidas
Pelo destino, que desejou
Que fôssemos amigas
E entre nós existisse amor.


Autoria: Fabiana Menassi

Teatro de sombras

No site da Lenderbook (onde integram-se várias correntes de pensamento, de colaboração e reciprocidade na elaboração de informações diversas sobre vários campos do saber sem exclusão de idéias e ideais) acaba de ser inserido, de minha autoria, um artigo a respeito da história e características do teatro de sombras oriental e ocidental.
Para quem estiver interessado em ler o artigo basta clicar no link:
http://www.lenderbook.com/sombras/index.asp
Durante o mês de julho participei de uma oficina de teatro de sombras no espaço Oficina Cultural Oswald de Andrade, bairro Bom Retiro da cidade de São Paulo.

Confiram as fotos dos resultados da oficina.

Experimentando Teatro de Sombras na Sala de Aula título do meu trabalho de conclusão de curso de licenciatura de educação artística/artes visuais chamou a atenção do professor orientador que escreveu e publicou em revista digital uma matéria a respeito das vivências dos alunos envolvidos com a experiência da linguagem das sombras; confira o que foi dito clicando no link a seguir:

http://www.revista.art.br/site-numero-08/apresentacao.htm

Meus amigos Giuseppe e Tânia também autores do TCC "Experimentando Teatro de Sombras na Sala de Aula", encenaram comigo uma história infantil adaptada para o gênero teatral das sombras para animar uma festa de aniversário em agosto de 2007.

Confiram as fotos deste evento

Espero que apreciem. Abraços a todos e até a próxima !

Noite segura

Observo a noite, a lua cheia
O céu estrelado
Refletindo no lago
Brilho da luz que me encandeia
Árvore oculta
Na escuridão do céu
Que projeta sua silhueta ao léu
Aceita acolher-me, absoluta!
Que lugar tranquilo!
Ouço somente o som do riacho
E a canção entoada pelo grilo.

Divina é a noite de luar
Que permitiu-me acalentar
Até a aurora raiar!
Autoria: Fabiana Menassi

In(en)constância

Que vazio me invade
Meu inimigo, o tempo,
Prende-me no vale
Ausente de sentimento.
O trabalho vazio
Morador do espaço angustiante
Nascido de temperamento arredio
Das pessoas que não refletem ar de gente!
Inexistência de alma
Vazio insuportável
Contraditoriamente, preciso da minha calma
Com este espaço, indispensável!

À prisão sem muros me entrego,
E deixando de ser meu dono
Feri meu ego
Coragem, um dia terei, para o seu abandono?

Autoria: Fabiana Menassi

A meu amado:

A noite de amor que a ti roguei
Recusaste. Rejeitaste-me.
Tristeza e lágrimas em meus olhos suscitaste-me
Penoso expressar o quão chorei
Oh, não imaginas!
Que lembrança nostálgica presente
Em meus pensamentos, perseverante.
Somente tu sabes como terminas.
Eterno é meu desejo de acolher em meu rosto
O seu toque, e do teu corpo,
Sentir o calor, em meu dorso.

Ardente desejo que me consome, receber de ti
Palavras que denotam amor, paixão e sensibilidade...
E entregam a meu ser, descomedida felicidade...

Autoria: Fabiana Menassi

Minha aldeia

Minha aldeia tem montanhas,
Aonde o sol vem brilhar,
Um rio limpo
De água cristalina
Aonde vou me refrescar
Minha aldeia tem pastos verdes,
Aonde descansam os animais.
E campos enormes, imensos!
Repletos de ondeantes trigais
Minha aldeia tem árvores
Frondosas, com ramos sinuosos,
E imponentes com seus troncos gigantes,
São amistosas, esperando alguém
À sua sombra descansar.
Minha aldeia não possui asfalto.
É escassa de carros
Lá no ar não existe poluição,
Eu inspiro das flores os seus perfumes exalados

Minha aldeia tem um povo
Feliz e com paz de espírito
Provida da generosidade
De cuidar e compartilhar...

O que?
Minha aldeia,
Pacífico lar
Minha paz interior! O meu lugar!

Autoria: Fabiana Menassi

Cidadania, um poder que diferencia

A realidade em que vive
Pode intervir.
Decisões nos destinos
Da sociedade
Tem o direito de participar
E teu futuro traçar.
Autarquias governamentais pressionar
Suas obrigações com os cidadãos, a cumprir.
Atitudes prometidas
Das autoridades, conferir.
Estruturas corruptas e injustas
Jamais permitir!

Programas televisivos viciantes
Obstruir o seu sucesso,
Do conhecimento e da informação
Conquistar o seu ingresso.
Por bens materiais
Não permita se consumir
Cultura em sua vida
Precisa introduzir.
A banalização do intelecto
Em tempo algum aceitar
O hábito de pensar
É imprescindível incorporar.

Não fique subordinado
E dependente da caridade
Sequer preso
Na cadeia da castidade.
A vida política precisa debater,
Seus direitos, lutar para prevalecer,
Seus deveres, constantemente exercer.
Cidadão, pare de sofrer.
A esperança jamais perder
E acima de tudo, nunca
Duvidar da confiança
Do seu poder.

Autoria: Fabiana Menassi

Noites

A noite desceu, com ela as estrelas
E a lua iluminando o céu escuro.
O relento, o calor que degela,
Sossego, realçam o que procuro.
O lago cintilante me revela
O semblante marcado pelo tempo
Como a vida me desfez de donzela
E não debilitou meus sentimentos

Árvore majestosa que me espera
Não me abandonará com meus prantos
Neste lugar todas as noites em branco

Meu amado esperando, a sua alma
Vir curar a solidão que me castiga
E um dia me levar desta guarida.

Autoria: Fabiana Menassi

Dilacera(n)do

Desesperador o meu tormento
Donde vieram as verdades
Dos meus destinos e sentimentos
Devastador de todas as sinceridades.
Desejo um mundo moderado,
De novos significados
Descerrado à invasão
Da rebeldia à realidade
Distorcido, invertido
Decido que o inteiro seja repartido,
Dos seus fragmentos ser iludido e
Dele ainda ser receptivo
Defino a liberdade, do aleatório
Das coisas em desconstrução,
De enxergar com os olhos
Do meu coração.
Autoria: Fabiana Menassi

Vivência "Interculturalidades"


Representando a ARCA Carlos Rogerio e Fabiana realizaram no dia 09 de julho numa belíssima chácara situada na cidade de Ibiúna durante o Encontro Brasil – Jovens Protagonistas de Trocas Solidárias, ocorrido entre 7 e 11 de julho uma vivência que abordou o tema INTERCULTURALIDADE. Através desta proposta houve um encontro/confronto entre culturas diferentes, onde cada participante protagonista de uma realidade particular expôs sua história/crenças, de maneira lúdica. Várias entidades participaram (CIC Batá de Espanha, In Loco e AJPaz de Portugal, Fundação Aracati do Brasil e Fundación para la Calidad y la Participación de Argentina)


Premiação de texto

II Concurso História do Meu Bairro, História do Meu Município, promovido pelo programa São Paulo: um Estado de Leitores da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e criado para estimular as pessoas a relatarem suas experiências nos respectivos lugares onde vivem, bem como resgatar a história desses locais, foi um sucesso absoluto! Dentre os mais de 500 textos recebidos, foram selecionados vinte para compor uma coletânea de textos, a ser lançada no segundo semestre de 2008, pela editora Arte & Ciência.

Os autores selecionados receberam ainda kits de livros com clássicos da literatura universal na solenidade de premiação que aconteceu no dia 01 de março de 2008, às 11h, na Casa das Rosas (Avenida Paulista, 37).

Premiados Categoria Município:

1º Patrícia Stahl Merlin – “ A formação territorial de Salto e a Vila Operária da Barra: reflexões sobre a urbanização paulista.”
2º Luis Soares de Camargo – “As origens de Morungaba: a primeira família e o “Bairro dos Mansos”
3º Elísio Francisco Zanotti – “Bariri: a arquitetura do café.”
4º Lazara Aparecida Fogaça Bandoni – “Itararé na História.”
5º Sílvia Maria Lopes de Mello – “São Roque, século XIX: uma História em sete cenas e seus principais personagens.”
6º Heloísa Rosa Candolo Pupo Barbosa – “Primórdios do Município de Uchoa: as raízes mineiras.”
7º Fabiana Menassi de Oliveira – “Itapevi, Cidade Progresso.”8º Elza Guerra Alemán – “Embu, Terra das Artes"
9º Paulo Ricardo Zargolin – “Jales – um sonho no sertão”
10º Luiz Alberto Massabni – “A História de Pirangi”

Premiados categoria Bairro:

1º Ricardo Barbosa da Silva – “Cohab II-Itaquera: História e cotidiano de umbairro da periferia de São Paulo”
2º José Luciano de Araújo – “Sobre(viver) no bairro do Ipiranga”
3º Ângelo Tiago de Miranda – “As transformações no bairro industrial do Jaguaré – urbanismo e vida cotidiana”
4º Inês Antonia Lohbauer – “História do bairro da Riviera Paulista”
5º Leda Abs Musa Kraml – “Granja Julieta – Verde e Água”
6º Estanislau Rybczynski - “Vila das Belezas – Beleza de Bairro”
7º Simone Sayuri Takahashi Toji – “O Bom Retiro: meu, seu, nosso”
8º Carlos Alberto Fatorelli – “A expansão da periferia de São Paulo: o Bairro São Luiz”
9º Paula Karina Verago Petersen – “De Santana a Santa Terezinha: Onde fica o Chora Menino?”
10º Ana Maria Vaccari da Silva Mungioli – “Freguesia do Ó”

Espetáculo "Heróis em outros cantos"

Recebi o convite do artista, inquieto e multifacetado, Carlos Rogerio para integrar o ITAN & ORIN um núcleo artístico voltado para a pesquisa e a divulgação do universo cultural afro, de maneira lúdica e interativa, com a intenção primeira de promover o reconhecimento de nossas raízes e gerar uma maior respeitabilidade pelo tema.



Carlos Rogerio


No espetáculo "Heróis em outros cantos" uma turista que vem visitar nosso país se depara com um tradicional desfile de Afoxé e se interessa por conhecer mais as heranças de nosso povo através de relatos, danças e músicas. Depois de escutar tais depoimentos, se integra à festa e convida todos a participarem da manifestação.

O espetáculo utiliza música, dança, teatro de animação e contação de histórias para expor encantadoras passagens do continente e das personagens africanas.

Elenco: Fabiana Menassi e Carlos Rogerio
Duração do espetáculo: 50 minutos
Sem restrição de faixa etária

Contatos para apresentações:

Fabiana: fabi_menassi@yahoo.com.br

Produção literária

Recentemente tive a honra de receber do grande amigo e parceiro Luiz Vilhena Braga o convite para fazer a redação e editoração de uma história para o público infanto-juvenil. O argumento é de autoria do próprio Luiz, e futuramente, a produção literária será publicada em livro.

Luiz, apaixonado por cinema, há muitos anos estuda e idealiza as técnicas da sétima arte em todas as suas fases. Além de ser ótimo diretor, criou vários roteiros de curta e longa-metragem para cinema/TV. Com ele tive oportunidade de aprender os primeiros passos que compõem a pré-produção desta arte e elaboramos em parceria vários roteiros para cinema.
Em 2005 e 2006 fomos responsáveis pela elaboração de passatempos do Jornal Alternativa da cidade de Itapevi/SP.

Outra empreitada que realizamos, a elaboração de um texto de caráter histórico, recebeu uma premiação da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo.




Luiz Braga

Contato: relpdai@yahoo.com.br